26 de abril de 2014

Encarei a morte de frente e a minha única preocupação foste tu. Se algum dia te voltava a ver, se irias sofrer, como iria ser sem ti. Mas principalmente se is sofrer. Pergunto-me vivamente se ias sofrer sem mim na tua vida. Claro que ias sofrer, porque no fundo não há ninguém como eu na tua vida, é uma realidade que ambos temos que admitir.
Tenho que admitir também que não sei como me devo sentir em relação a tudo isto. Um dia tu dizes que me amas, no outro eu quase morro, abraças-me como se nada fosse. Afinal a vida pode mesmo mudar num único segundo, apenas num instante tudo o que se conhece como vida, pode simplesmente morrer... Não foi o facto de morrer que me assustou, foi o saber que não fiz tudo o que queria. Não fiz tudo o que queria, não te ia ver mais. Não ia mais ver os teus olhos, nem o teu sorriso. Ah... esse teu sorriso.
No entanto, não sei se isto é o certo. Não devia ser em ti que devia ter pensado no meu, suposto, ultimo momento de vida. Magoaste-me. À quase quatro meses que não sou mais a tua principal fonte de felicidade e isso assusta-me. Assusta-me, como é que ainda te posso amar tanto, depois de tudo. É como se amar-te fosse a minha lei. 

11 comentários:

  1. Foi normal, passado em casa e o baby a trabalhar. E o teu princesa? :)

    ResponderEliminar
  2. Lutei sempre até hoje, e não vou desistir de lutar, mas desta vez por mim :)
    E tu, força também :)

    ResponderEliminar
  3. estás a passar pelo mesmo que eu querida? :/

    ResponderEliminar
  4. Nos momentos de aflição temos tendência a pensar em tudo aquilo que ficou por resolver. E tu e ele são um assunto que ainda dará muito para falar!

    ResponderEliminar
  5. Cause to love you *.* (música)
    Quanto ao texto: Força rapariga!

    ResponderEliminar
  6. como eu concordo contigo!
    "É como se amar-te fosse a minha lei." - que lindo!

    ResponderEliminar
  7. Não há ninguém substituível e aquela pessoa marca sempre.

    ResponderEliminar
  8. «É como se amar-te fosse a minha lei.» é isto. é isto mesmo.

    ResponderEliminar
  9. Amar é "involuntário".. não se manda, nem se escolhe de quem ama :\

    ResponderEliminar
  10. olá querida, agora chamo-me matilda, não mudei de casa mas mudei a casa, era a effy do blog de(pression), cujo nome e link continua o mesmo.
    identifico-me tanto contigo neste texto!

    ResponderEliminar
  11. Quando estamos mal recordamos tanta coisa que ainda nos põe pior :/

    ResponderEliminar

«O teu anjo da guarda fala pela boca daquela mulher, que não tem mais inteligência que a do coração, alumiada pelo seu amor.»