16 de setembro de 2014

Se o arrependimento mata-se, eu não precisaria de uma tesoura para me cortar. Ao ponto em que cheguei, ao ponto em que me sinto, ou não me sinto, mais. Estou cansada, não sei bem do quê, ou de quem. Mas estou. Esta sensação de fraqueza, provavelmente da indiferença... não me lembro como era antes de tudo isto começar. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

«O teu anjo da guarda fala pela boca daquela mulher, que não tem mais inteligência que a do coração, alumiada pelo seu amor.»