5 de maio de 2015

Se te conseguisse explicar ponto por ponto todas as minhas dúvidas e medos; todas as minhas dores e cicatrizes; manias e humores... Mas não posso. Aliás posso mas talvez não queira explicar. Já passamos por tanto, talvez um bocadinho de tudo e olha para nós agora. O que somos nós agora, o que fomos e deixamos de ser, o que queremos e temos medo de ser(!).
Foda-se.
Foda-se ao facto de me pores louca de amores por ti a cada minuto que passa. Foda-se ao facto de todos os dias me dares provas que me queres mesmo muito. 
Gosto de toda esta adrenalina que me fazes correr a mil no sangue e me põe sem ar. Se sou louca? Sim; se tenho 100% de certezas que nunca mais me voltas a magoar? Não! Mas quero arriscar. Tu fazes-me feliz, o que mais posso querer?
Nada!
Espero todos os dias por ti, como uma criança espera ansiosamente pelo Pai Natal na noite de 24 de Dezembro, se me perguntares o motivo de eu estar assim, todos os dias, vou ter de te por a culpa em cima sem teres qualquer culpa no cartório. Mas és tu. É o teu olhar, o teu sorriso, o teu jeitinho, a tua gargalhada, queres que continue ou posso parar por aqui? Acho que ias adorar que continuasse a escrever todas as coisinhas que por mais mínimas que te pareçam foram as que me deixaram completamente, loucamente, incondicionalmente apaixonada por ti.
Porquê eu?
Porquê tu?
O que afinal temos nós de tão especial para continuarmos a insistir em por dois loucos a querer ficar juntos?
Este amor, este sentimento que me põe ansiosa, nevosa e a sentir-me a mulher mais linda e magnifica do mundo.
Ok, se isto é o amor, eu aceito ficar com ele.

1 comentário:

«O teu anjo da guarda fala pela boca daquela mulher, que não tem mais inteligência que a do coração, alumiada pelo seu amor.»