19 de abril de 2016

p.s: Não vou contar que te conheço à quase nove anos.

Sabes que sofro por antecipação, e como devias saber, sinto-me sempre ansiosa em relação a ti. É simplesmente automático, basta saber que vens ter comigo. Percebo finalmente o que a Raposa queria dizer ao Príncipezinho. 
É toda uma preparação para te receber da melhor maneira nos meus braços, é como arrumar a casa num segundo para tudo estar perfeito em mim, para absorver toda as tuas mágoas e dores para as carregar. 
És especial. 
Fazes simplesmente com que o meu dia se encha de sol, mesmo nos dias mais chuvosos. Impressionante como o amor nos pode transformar completamente por dentro, como se tudo à nossa volta seja sempre tão pequenino comparado ao nosso amor.
Sou contra classificações de amor. Não se ama muito ou pouco, ou se ama ou não se ama, simples; mas contigo sinto uma enorme necessidade de dizer que te amo mais que tudo, mais que muito, mais que qualquer coisa que eu algum dia pudesse imaginar. Estranho. Estranho porque o amor faz com que percamos a noção e tantas vezes vamos contra aquilo que somos.
O amor tem o dom do esquecimento. Esquecemos a pessoa que somos e tantas vezes os nossos sonhos em prol do amor por uma pessoa. 
Sinto que connosco, não é bem assim. Juntos mudamos sim, mas também por culpa da vida, nunca nos proibimos de sonhar, e sinto que tivemos o privilégio de a vida nos por lado-a-lado quando separados já tínhamos objectivos idênticos. 
Talvez tenha sido o destino a unir-nos de novo, como se nada fosse, como se nada nunca tivesse acontecido. Sabe bem, saber que afinal somos mesmo um do outro, e a prova disso é estarmos juntos à quase um ano. 
Amo-te. Amo-te muito. Amo-te mais que tudo.
Amo-te de todas as formas que sinto que sejam possíveis e até talvez impossíveis. 
És simplesmente o maior motivo que tenho para sorrir e para ser feliz, - mesmo que eu nem sempre goste o meu estado de espírito esteja tão conectado com o estado de espírito da nossa relação -, e todos os dias agradeço, a quem quer que esteja lá em cima, por te der na minha vida.
Obrigada, pelos últimos quase 12 meses na minha vida.

p.s: Não vou contar que te conheço à quase nove anos.
p.s1: Amo-te, só para que saibas.
p.s2: Só mais uma vez: amo-te. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

«O teu anjo da guarda fala pela boca daquela mulher, que não tem mais inteligência que a do coração, alumiada pelo seu amor.»