4 de dezembro de 2012

Panda chinesa.

O desejo que existe dentro de mim de acolher todos os teus desejos e provocar em ti sempre os mais belos sorrisos começa lentamente a matar-me. O desejo de te querer perto de mim, de te sentir perto de mim, de te beijar, de te abraçar, mas principalmente o desejo de gostares de mim, de me quereres como eu te quero a ti enlouquece-me a cada segundo que passa. Meu doce, tens sido amargo comigo e pior de tudo, tens deixado o meu coração triste. E eu, sim eu, não sei mais o que te dizer, fazer, para ficares ao pé de mim só mais cinco minutos de baixo dos cobertores, esses mesmos cobertores que tapam todo o nosso pecado e escondem os sentimentos, se é que existem, pura e simplesmente isto. És a minha droga, és quase tanto como sangue que percorre as minhas veias e o ar que respiro, de uma maneira louca de dizer, que apesar de tudo, mesmo que não exista amor, tens um grau de importância elevado dentro do meu coração. E é a fumar o meu último cigarro que te digo: guarda o meu coração.

16 comentários:

  1. Mas que perfeição <3 <3 eu amei :o olha o meu ultimo texto foi a pensar em ti.
    adoro a musica (carta)

    ResponderEliminar
  2. Eu deixo, fogo, ela exagera sempre...
    Lindo!

    ResponderEliminar
  3. Que texto bonito.
    Oh, isso é uma pena porque tu deves ter tratada lindamente querida. E a pessoa que está contigo bem precisa de abrir os olhos e acordar.

    ResponderEliminar
  4. que texto lindo:)
    obrigado pelas felicidades, espero celebrar muitos mais

    ResponderEliminar
  5. então podes contar comigo, farei tudo o que puder para te ajudar querida!

    ResponderEliminar
  6. http://theohtersideofdarkness.blogspot.pt/
    link do blog ((:

    ResponderEliminar
  7. como conheço essa sensação, às vezes chega a ser amor

    ResponderEliminar
  8. Gostei do texto, e peço desculpa pela invasão mas achei o teu blog interessante!

    ResponderEliminar

«O teu anjo da guarda fala pela boca daquela mulher, que não tem mais inteligência que a do coração, alumiada pelo seu amor.»