14 de junho de 2013

(?)

Questiono-me diariamente sobre se perdoar faz mesmo bem. A única pessoa que eu tenha de perdoar é a mim mesma, por todos os dissabores que aceitei que a vida me desse, no entanto segui caminho, não podia deixar que a consciência pesada me impedisse de viver, de sentir a brisa fresca do mar na minha face e o sol a dar brilho ao meu cabelo. Mudei. Mudei porque tinha de mudar, não havia mais lugar para mim nos caminhos que eu percorria ou insistia que tinha de os percorrer. Cansei-me desses caminhos, do que sentia em percorre-los, pensei por longos momentos, talvez mesmo eternos, que esta vida só haveria um propósito: amar os outros. Por vezes, deito-me na cama e deixo a consciência falar mais alto, sentir mais alto todos os meus pecados. Que se foda, um dia tudo isto irá desaparecer.

11 comentários:

  1. uma amiga minha, que julga que pode dizer tudo o que lhe vem à cabeça

    ResponderEliminar
  2. Não te preocupes, com o tempo acabarás por te perdoar, até sem dares conta. Todos temos "pecados", todos cometemos erros, todos temos segredos. A vida encarrega-se de deixar isso no passado e de nos dar segundas chances. Dá-nos oportunidade de mudar, melhorar :)

    ResponderEliminar
  3. ora nem mais. é tudo muito relativo

    ResponderEliminar
  4. oh, obrigada! quando conseguir estabelecer uma relação entre o blog e a minha cabeça, eu escrevo.

    ResponderEliminar

«O teu anjo da guarda fala pela boca daquela mulher, que não tem mais inteligência que a do coração, alumiada pelo seu amor.»