24 de dezembro de 2015

Feliz Natal, onde quer que estejas.

É hoje. Hoje faz seis meses que te foste embora e só deixaste saudades. Muitas saudades, gostava que pudesses ler isto ou que eu tivesse tido a coragem para te dizer que És o melhor avô do mundo. És e não Foste. Eu acredito que as pessoas só desapareçam quando nos esquecemos delas, talvez seja por isso que tenho medo de me esquecer, obrigo a minha mente a recordar o teu cheiro e a tua voz e parece que vem de tão longe... queria ir ver-te à tua nova casa, mas sinto medo de não aguentar, de me desfazer em lágrimas e ficar com os malditos "porquês" no coração.
Porquê tu?
Porquê assim?
Porquê tanta gente má no mundo e a tua hora tinha de ser já?
E a única coisa que me vem à cabeça é que a vida é mesmo assim. Nunca tinha sentido um aperto tão grande, a certeza de nunca mais te ver deixa-me doente. E é o primeiro Natal sem ti. Só me apetece chorar. Chorar. Chorar. Chorar.
Volta. Volta porque me fazes falta, porque preciso de ti.
Feliz Natal, onde quer que tu estejas.

1 comentário:

  1. um beijinho de força, que tudo se torne mais fácil de lidar com o tempo

    ResponderEliminar

«O teu anjo da guarda fala pela boca daquela mulher, que não tem mais inteligência que a do coração, alumiada pelo seu amor.»